nomofobia

Você já ouviu falar em nomofobia?

Talvez, você já tenha ouvido ou lido algo a respeito de claustrofobia, acrofobia, aracnofobia e tantas outas fobias que existem. Mas já ouviu falar sobre nomofobia? 

Pois bem! Essa é uma fobia característica dos tempos modernos. Por exemplo, se você tem dificuldades em se manter longe do celular, fica ansioso e preocupado com a possibilidade de não ter sinal ou se já fica irritado e angustiado apenas com o pensamento de não poder usar aparelho de telefone pode ser que tenha nomofobia. Ou seja, sofrer com um medo irracional de ficar sem celular.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então, continue a leitura!

A nomofobia é uma doença?

De fato, a nomofobia ainda não está listada em vários manuais de diagnósticos de transtornos mentais. Todavia, especialistas em saúde mental estudam a questão tendo em vista a necessidade de definir critérios formais para o seu diagnóstico.

Contudo, os próprios especialistas consideram que essa condição representa uma preocupação com a saúde mental. Há até mesmo aqueles que defendem que ela pode ser tida como um tipo de vício ou dependência do telefone.

Quais são os possíveis sintomas

No contexto geral, fobias são caracterizadas com uma espécie de ansiedade. Sendo assim, provocam uma resposta intensa de medo e aflição quando a pessoa pensa ou se depara com a situação ou objeto causador do medo. 

Com isso, na área emocional os sinais de nomofobia podem incluir:

  • medo ou pânico de não ter o celular por perto, ou não poder usá-lo;
  • agitação e ansiedade caso precise desligar o aparelho ou quando sabe que não poderá usá-lo por algum tempo;
  • pânico e angústia quando não consegue achar o aparelho;
  • irritação, ansiedade ou estresse quando não consegue conferir notificações do celular.

No campo físico, os sintomas podem incluir:

  • dor e aperto no peito;
  • aumento da transpiração;
  • inquietação e tremores;
  • dificuldades para respirar;
  • taquicardia;
  • tontura, desorientação e sensação de desmaio.

Quais as causas?

Como falamos no início desse artigo, a nomofobia é uma fobia moderna, pois tem relação com uma tecnologia atual, isto é, o celular. 

Em resumo, é muito provável que a sua ocorrência tenha uma íntima ligação com a confiança na tecnologia e na preocupação sobre o que pode acontecer caso a pessoa não possa acessar as informações que deseja.

Algumas análises indicam que adultos jovens e adolescentes compõe o grupo que mais desenvolvem o problema. Talvez, devido à popularização e o uso intenso de aparelhos celulares entre eles.

Apesar de as causas ainda não serem conhecidas, especialistas acreditam que alguns fatores podem contribuir, por exemplo:

  • o medo de ficar isolado pode ter um papel importante, pois o celular serve como a principal forma de contato com as pessoas mais próximas. Ou seja, sem poder usar o aparelho a pessoa poderia ficar angustiada;
  • ter medo da solidão e, por isso, se apegar ao telefone;
  • outro possível fator de risco é o medo de não estar alcançável ou disponível. Isso faz com a pessoa sempre esteja com aparelho em mãos, conferindo a todo momento se a mensagem esperada chegou. O problema, é que isso pode se tornar um hábito complicado de ser quebrado.

Por fim, se você tem ou conhece alguém com alguns dos sinais acima, tente procurar um especialista em saúde mental. Afinal, quanto mais cedo lidar com o problema, melhor!

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Porto Alegre!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp