Tricotilomania

Tricotilomania: o que é e como tratar?

Tricotilomania é um tipo de transtorno compulsivo no qual a pessoa sente uma vontade corriqueira e incontrolável de arrancar fios ou tufos do próprio cabelo, ou pelos de outra região do corpo, como cílios e sobrancelhas, por exemplo.

Estudos apontam que o número de casos dessa doença acomete de 0,6% a 3,6% da população mundial, e atinge em sua grande maioria as mulheres, com 90% dos casos.

As pessoas que sofrem desse distúrbio, costumam praticar o ato de arrancar o cabelo após momentos de ansiedade e estresse, e após fazer isso elas sentem uma sensação de alívio e de prazer.

Em alguns casos, a tricotilomania é algo que pode ser controlado pelo indivíduo, porém, em outros mais graves, a pessoa sente uma necessidade tão forte de arrancar o cabelo, que chega a ficar quase careca, precisando então esconder o problema.

Causas da tricotilomania

As causas desse distúrbio ainda não são totalmente conhecidas, porém, alguns fatores genéticos e ambientais podem estar relacionados ao surgimento desse problema. 

Em situações onde há um grande número de casos na mesma família, sugere que esse transtorno possa ser de caráter hereditário.

Há a hipótese de que esse distúrbio mental pode ocorrer devido a deficiência de alguns neurotransmissores relacionados com atos impulsivos, como por exemplo a dopamina, serotonina e noradrenalina.

Sintomas

O principal sintoma desse transtorno, como foi dito anteriormente, é o desejo incontrolável de arrancar o próprio cabelo, entretanto, existem outros sintomas que são bastante comuns, os principais são:

  • Algumas manias repetitivas, como roer a unha e morder os lábios;
  • Falhas no couro cabeludo;
  • Estresse;
  • Ansiedade;
  • Sensação de prazer ou alívio ao arrancar fios de cabelo;
  • Morder, mastigar ou engolir os fios arrancados;
  • Ter preferência por alguns fios de cabelo e fazer algum tipo de ritual antes de praticar o ato;
  • Tentar resistir ao desejo de puxar o cabelo;
  • Aumento das tensões momentos antes de arrancar o cabelo;

Como tratar a tricotilomania?

O tratamento da tricotilomania envolve profissionais de inúmeras áreas, podendo ser tratado com dermatologistas, psiquiatras e psicólogos, e em alguns o tratamento medicamentoso se torna necessário.

Tratamento psicológico

O psicólogo irá encaminhar o paciente para uma Terapia Cognitiva Comportamental, com o objetivo de ensinar o indivíduo  a reconhecer os seus pensamentos, sentimentos e comportamentos negativos, que funcionam como um tipo de gatilho e o induzem a praticar o ato de arrancar o cabelo.

Tratamento dermatológico

Em alguns casos, onde a quantidade de lesões na pele e no couro cabeludo são grandes, se faz necessário uma consulta com um dermatologista, para que ele possa receitar algum tipo de pomada ou medicamento para curar essas lesões.

Tratamento medicamentoso

Em casos onde esse transtorno se encontra em um estado mais grave, se faz necessário uma consulta com um psiquiatra, para que ele possa dar início a um  tratamento medicamentoso.

Normalmente, ele irá prescrever alguns medicamentos antidepressivos, como por exemplo, os inibidores de serotonina, que funcionam como controladores de comportamentos impulsivos e de crises de ansiedade, ou seja, faz com que as crises de tricotilomania se tornem cada vez menos frequentes.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Porto Alegre!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp