TDAH

TDAH em adultos: como diagnosticar e tratar?

Na maioria das vezes em que ouvimos falar sobre TDAH é quando essa condição está relaciona às crianças que têm problemas para se concentrar, são impulsivas ou hiperativas. Mas você sabia que os adultos também são afetados por ela?

Nos próximos tópicos, você verá algumas considerações importantes sobre o Transtorno de Déficit de Atenção em adultos. Continue a leitura e aprenda mais sobre esse assunto!

Como é feito o diagnóstico de TDAH

O diagnóstico de TDAH é realizado com base em uma análise criteriosa de vários pontos, por exemplo:

  • tempo de duração dos sintomas;
  • grau em que a condição causa prejuízos às diversas áreas da vida do paciente;
  • gravidade e intensidade dos sintomas;
  • quantidade de sinais apresentados.

Todavia, é interessante ressaltar que há casos em que o indivíduo cumpre todos os critérios para ser diagnosticado com TDAH, sem que tenha apresentado qualquer sintoma de impulsividade e hiperatividade.

Além disso, o médico faz uma avaliação cuidadosa para determinar se os sinais apresentados não são oriundos de outras condições ou se estão sendo influenciados por outra situação coexistente.

Contudo, também é importante procurar por um profissional experiente e qualificado. Muitas vezes, o domínio e conhecimento do especialista é um fator fundamental para a obtenção de diagnóstico preciso, assim como de um plano de tratamento eficaz.

Como saber se tenho TDAH

A maior parte das pessoas adultas que passam por uma avaliação médica para o diagnóstico do Transtorno de Déficit de Atenção costuma experimentar vários problemas em uma ou diversas áreas da vida. A seguir estão alguns dos mais frequentes:

  • perder ou desistir frequentemente de empregos;
  • baixa capacidade para gerenciar as responsabilidade diárias, por exemplo, organizar as coisas, realizar tarefas domésticas, pagar contas em dia;
  • histórico de insucessos na vida profissional ou nos estudos;
  • complicações que surgem devido ao não cumprimento de tarefas;
  • sentimentos intensos e crônicos de culpa e frustração;
  • estresse crônico pelos fracassos no cumprimento de responsabilidades e metas;
  • esquecimento de coisas importantes;
  • irritação fácil com coisas sem importância.

Tratamentos disponíveis

Geralmente, a abordagem de tratamento para o TDAH em pacientes adultos envolve várias frentes com o uso de medicamentos, aconselhamento especializado, educação sobre o transtorno e treinamento de habilidades.

Certamente, quando combinadas, essas opções apresentam um nível de eficácia melhor. Entretanto, apesar de essas abordagens ajudarem no controle dos sintomas, eles não podem ser curados. É aqui que o profissional experiente faz toda a diferença, uma vez que está qualificado para definir o melhor caminho para o paciente, considerando todas as alternativas.

Dito isso, alguns dos resultados positivos do tratamento adequado são:

  • o indivíduo consegue melhorar suas habilidades organizacionais;
  • melhora sua gestão de tempo;
  • aprende como reduzir e minimizar os impactos de seu comportamento impulsivo, por exemplo, nas relações sociais;
  • desenvolve e aprimora habilidades de resolução de problemas;
  • consegue lidar melhor com o passado profissional e acadêmico, bem como com falhas sociais, melhorando suas perspectivas para o futuro;
  • experimenta melhoras significativas na autoestima.

Em conclusão, lidar com todas as questões relacionadas ao TDAH é possível. Muitos avanços foram feitos nos últimos anos pela ciência que podem garantir que a pessoa tenha uma vida de qualidade e tranquila. Sendo assim, se você tem dúvidas sobre essa condição, suspeita que possa ter ou conhece alguém que tenha, procure um especialista para dar início ao tratamento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Porto Alegre!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp