Síndrome de Burnout

Síndrome de Burnout: quais as causas e tratamentos?

A síndrome de Burnout tem se tornado um assunto cada vez mais frequente na vida atual. Essa condição tem como principal característica um estado de exaustão emocional, mental e física. Isso acontece quando a pessoa se sente incapaz de responder às demandas constantes, ocasionando o esgotamento e um alto nível de opressão.

À medida que o estresse segue de forma persistente, o indivíduo começa a se sentir desmotivado e a perder o interesse no papel que havia assumido.

A seguir, você vai entender o que está por trás da síndrome de Burnout e o que pode ser feito como tratamento. Acompanhe!

Quais são as causas do esgotamento?

Na maior parte dos casos envolvendo essa condição, o esgotamento tem como base o trabalho. Mas, qualquer pessoa que esteja sobrecarregada e desvalorizada fica vulnerável ao esgotamento, desde o executivo no escritório que não tira férias há anos até a mãe que cuida sozinha da casa e dos filhos.

Entretanto, as causas da síndrome de Burnout não estão relacionadas apenas as responsabilidades estressantes do trabalho. Diversos outros fatores podem contribuir para o surgimento da condição, como traços de personalidade e estilo de vida. Até mesmo como a pessoa decide passar seu tempo livre pode ter relação com um quadro de estresse opressor, seja em casa ou no trabalho.

Causas de burnout por áreas da vida

Relacionadas ao estilo de vida: trabalho em excesso, falta de tempo para socializar, de apoio, falta de relacionamentos próximos, poucas horas de sono, assumir muitas responsabilidades, fazer o trabalho de outras pessoas.

Relacionadas ao trabalho: sensação de pouco ou nenhum controle sobre o trabalho, ter um projeto muito desafiador ou uma função monótona, trabalhar sob muita pressão ou em ambiente caótico.

Relacionadas aos traços de personalidade: relutância em delegar, necessidade de estar sempre no controle, visão permissiva do mundo e de si mesmo, ideia de que não é bom o suficiente e tendências perfeccionistas.

Quais os tratamentos disponíveis?

Antes de falar sobre como lidar com o Burnout, é importante lembrar que não é a mesma coisa que estresse, embora tenha relação. No primeiro caso, mesmo estressada, a pessoa ainda consegue pensar que, ao controlar a situação, as coisas vão melhorar. 

No segundo, o indivíduo sente que não é suficiente, fica sem motivação e começa a se sentir vazio. Muitas vezes, quem tem essa condição não apresenta nenhuma perspectiva positiva para o seu futuro.

Dito isso, para lidar com a síndrome de Burnout a pessoa deve adotar algumas práticas e mudanças em sua vida, visando criar um cenário que mudará sua situação. Nesse sentido, algumas coisas que podem ser feitas são:

  • Procurar priorizar as coisas que devem ser feitas, deixando as tarefas menos importantes de lado;
  • Delegar as coisas, afinal, ninguém não pode fazer tudo sozinho;
  • Pedir ao chefe para trocar de função na empresa para uma menos estressante;
  • Deixar o trabalho no trabalho;
  • Não deixar as necessidades pessoais de lado;
  • Definir limites pode ajudar a controlar o estresse e se recuperar do esgotamento;
  • Antes de fazer algo, se perguntar se, realmente, tem tempo e energia;
  • Cuidar da saúde física e fazer atividades que relaxem;
  • Procurar focar as ações naquilo que a faz feliz;
  • Conversar com amigos de confiança.

Enfrentar a síndrome de Burnout sozinho não é uma tarefa fácil, especialmente quando a vida pessoal e a qualidade de vida já foram afetados. Nesses casos, um especialista em saúde mental pode fazer toda a diferença, ajudando você a entender melhor sua condição e quais os caminhos que deve tomar.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Porto Alegre!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp