Angústia

Sentimento de Angústia: Quando Devo Me Preocupar?

Embora seja um sentimento conhecido pela população, a angústia é uma sensação de difícil definição do que realmente se sente. Contudo, é capaz de provocar sérios danos físicos e mentais e também pode estar relacionada com outros transtornos emocionais.

Você já lidou com esse sentimento? Neste post, abordaremos os principais tópicos sobre o assunto para que você saiba quando é a hora de se preocupar.

O que é o sentimento de angústia?

Trata-se de uma percepção psicológica que se caracteriza pela reunião de alterações emocionais e físicas que podem até nos impedir de realizar atividades rotineiras e/ou provocar o isolamento social.

Geralmente, a angústia é confundida com o distúrbio de ansiedade ou de pânico. Porém, são comportamentos mentais diferentes. Uma pessoa angustiada sofre com questões relacionadas ao presente, enquanto o ansioso tem uma apreensão exagerada em relação ao futuro.

Por ser uma emoção complexa e difusa, não existe um consenso sobre sua origem. A palavra angústia deriva do termo alemão “angst”, que significa algo estreito que causa desconforto e aperto.

Segundo o filósofo francês Jean-Paul Sartre, este sentimento nasce quando nos conscientizamos de que tudo o que acontece conosco, está relacionado as nossas próprias decisões.

Quais os sintomas?

Assim como a ansiedade, a angústia também provoca sintomas físicos e emocionais em quem sofre com ela. A seguir, saiba quais são eles:

  • excesso de pensamentos negativos;
  • insônia; 
  • inquietação; 
  • dor de cabeça;
  • falta de ar e sensação de sufocamento;
  • dor no peito;
  • sensação de aperto na garganta;
  • crises de ansiedade;
  • aceleração e descontrole dos batimentos cardíacos.

Além destes sintomas, o paciente costuma apresentar sinais semelhantes aos de depressão, como, por exemplo, falta de concentração, apatia, perda de apetite, cansaço constante e dores no corpo.

Quando é um problema?

A angústia é um sentimento normal, que faz parte da nossa existência e da falta de controle e de previsibilidade que temos sobre o futuro. Nesses casos, é chamada de adaptativa e não é uma patologia, ou seja, ela nos faz refletir e tomar decisões.

Entretanto, é considerada patológica quando provoca consequências físicas e psicológicas, nos deixando travados diante das circunstâncias, sendo chamada de desadaptativa. Esses quadros podem ter a seguinte origem:

  • falta de gerenciamento das crises pessoais, tornando o distúrbio uma condição crônica;
  • sensação de bloqueio e incapacidade para enfrentar, por exemplo, o desemprego, uma separação ou alguma mudança profunda na vida;
  • enfrentar algum problema nos relacionamentos sociais, como conflitos, decepções e rompimentos.

Além disso, também existe o fator genético. Existem pessoas que são mais predispostas a experimentar aumentos de adrenalina ou reduções no ácido gama-aminobutírico (GABA), o que contribui para o surgimento da angústia.

Após a leitura deste post, você já tem a exata noção do que é a angústia e de suas principais características.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Porto Alegre!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp