dependência do cigarro

O que causa a dependência do cigarro?

De acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), existem mais de um bilhão de fumantes no mundo. Destes, cerca de 80% vivem em apenas 24 países. Nesse sentido, a dependência do cigarro é um problema de saúde pública mundial.

Você sabe como uma pessoa se torna dependente do tabaco? Entende os mecanismos por trás dessa dependência? Então, recomendamos a leitura deste texto. A seguir, explicaremos tudo sobre o assunto.

Por que o cigarro causa dependência?

O tabaco deriva de uma planta chamada Nicotiana tabanacum, que é de onde se extrai a nicotina, substância essencial no processo de dependência. Esta pode ser encontrada tanto nos cigarros quanto nos charutos, cachimbos, narguilé, etc.

Isso porque é a nicotina é uma substância psicoativa, responsável por atuar no cérebro e provocar a dependência. Diante disso, ao ser inalada, produz a sensação de prazer no indivíduo, promovendo alterações no Sistema Nervoso Central.

Em consequência disso, afeta o estado emocional e comportamental das pessoas, como ocorre com usuários de cocaína, heroína e álcool. Assim, ao chegar no cérebro, a nicotina libera neurotransmissores capazes de promover a sensação de bem-estar.

Assim, o fumante desenvolve a dependência do cigarro e o organismo passa desejar a repetição dessa sensação. Porém, com a inalação recorrente dessa substância, o cérebro se adapta e os efeitos tendem a diminuir.

Por isso, é comum que, em um curto período após terem começado a fumar, as pessoas aumentem gradativamente a quantidade de cigarros que consomem. Com isso, estão cada vez mais suscetíveis às doenças provocadas pelo tabagismo.

Quais são as doenças causadas pela dependência do cigarro?

Por si só, a dependência do cigarro é uma patologia. Entretanto, em função dos efeitos que provoca no organismo, torna os fumantes mais predispostos a desenvolverem inúmeras outras doenças, como, por exemplo:

  • vários tipos de cânceres (pulmão, estômago, laringe, pâncreas, faringe, esôfago, rim, bexiga, colo de útero e leucemia);
  • doenças respiratórias (enfisema pulmonar, asma e infecções);
  • doenças cardiovasculares (angina, infarto agudo do miocárdio, hipertensão arterial, aneurismas, AVC e tromboses);
  • úlcera do aparelho digestivo;
  • osteoporose;
  • catarata;
  • impotência sexual e infertilidade;
  • menopausa precoce e complicações na gravidez.

Como funciona o tratamento para a dependência do cigarro?

O tabagismo é uma dependência química e psicológica. Por isso, ao tentar parar de fumar, é normal que o indivíduo encontre grande dificuldade para lidar com os efeitos da abstinência no corpo. Dessa forma, buscar orientação profissional é fundamental.

Ainda, uma das alternativas de tratamento envolve o uso de medicamentos nicotínicos e não nicotínicos, fármacos que contribuem para a redução dos sintomas de abstinência e da intensidade da fissura. 

Além disso, recomenda-se a participação do dependente em grupos de aconselhamento ou a realização de aconselhamento individual. Isso ajuda o indivíduo a identificar as crenças e os comportamentos associados ao hábito de fumar.

Por fim, a dependência do cigarro é uma doença crônica que não tem cura, apenas manutenção. Portanto, é de extrema importância contar com o suporte de um profissional de saúde qualificado e comprometido com o tratamento.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Porto Alegre!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp