depressão pós-parto

14 principais sintomas da depressão pós-parto

Você sabia que 1 em cada 9 mulheres que se tornam mães acaba desenvolvendo a chamada depressão pós-parto? Geralmente, os sintomas surgem entre 1 mês e 1 anos após o nascimento do bebê.

Antes de tudo, é preciso esclarecer que quando uma mãe tem depressão pós-parto não significa que ela não ame sua criança. Além disso, é necessário considerar que essa condição é uma questão de saúde mental e que o tratamento adequado pode ajudar a resolver.

Neste artigo, vamos entender melhor o que é a depressão pós-parto e quais são os seus principais sintomas. Acompanhe!

Entendendo a depressão pós-parto

Considerada uma doença mental grave, a depressão pós-parto envolve o funcionamento do cérebro e afeta a saúde física e o comportamento da pessoa. Se você sofre esse tipo de depressão, a sensação de vazio e os sentimentos de solidão, assim como de tristeza podem prejudicar seu dia a dia.

Também pode se sentir desconectada de seu filho, como se não possuísse nenhum laço materno com ele, sentindo que não é capaz de amar ou cuidar do bebê.

Sintomas mais comuns

Essa doença pode se manifestar de diferentes maneiras e variar muito de intensidade entre uma pessoa e outra. Porém, alguns dos sinais mais comuns são:

1.      episódios recorrentes de irritabilidade e ansiedade;

2.      tristeza e um humor baixo;

3.      letargia e fadiga;

4.      dores pelo corpo, sendo as mais comuns de estômago e de cabeça;

5.      falta de apetite;

6.      sensações de culpa, desamparo, falta de esperança ou se sentindo sem valor;

7.      dificuldades para pensar e se concentrar;

8.      falta de motivação e perda de interesse nas atividades que gostava;

9.      dificuldade para manter laços e relações com o bebê;

10.  sensação de ser incapaz de cuidar da criança recém-nascida;

11.  frequentes crises de choro;

12.  dificuldade em tomar decisões;

13.  isolamento e afastamento de familiares e amigos;

14.  perder o interesse no bebê, sendo possível a ideia de que a responsabilidade de cuidar dele é de outra pessoa.

Orientações gerais em caso de depressão pós-parto

Ao perceber que está tendo problemas, é fundamental que a pessoa afetada pela depressão pós-parto procure imediatamente ajuda especializada.

Aliás, isso é algo que não pode esperar, pois, há casos que um quadro de psicose surge junto com o problema. Nessa situação, confusão mental, paranoia, manias, delírios e alucinações são alguns dos sintomas.

Sendo assim, é interessante observar que algumas ações e comportamentos podem fazer a mãe se sentir melhor enquanto faz o tratamento médico:

  • procurar descansar o máximo que puder aproveitando o momento em que o bebê está dormindo;
  • não tentar fazer tudo sozinha ou muitas coisas para não se sobrecarregar. Afinal, pedir ajuda ao parceiro, família e amigos pode fazer toda a diferença;
  • conversar com outras mães pode ser muito útil para aprender com a experiência delas;
  • falar sobre os sentimentos pessoais com pessoas de confiança, como o parceiro e familiares;
  • evitar fazer grandes mudanças após o nascimento do bebê, pois podem causar ainda mais estresse.

Portanto, se você sentir deprimida durante a gravidez ou após o nascimento de seu filho e suspeita de que possa ter depressão pós-parto, converse com alguém que seja próximo sobre a situação e procure ajuda especializada imediatamente

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Porto Alegre!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp